Archive for the ‘Ação Sustentável’ Category

h1

8º Festival Lixo e Cidadania apresenta projeto para criação de uma Central de Negócios de Reciclados

01/10/2009

Durante o 8º Festival Lixo e Cidadania realizado no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), aconteceu nesta quarta-feira (23) uma palestra apresentando o projeto “Central de Negócios de Reciclados”. A ideia é a inserção dos catadores no site de compras e vendas “SuperBuy” que irá ceder gratuitamente o espaço para comercialização dos resíduos coletados e tratados. “O sistema trará objetividade e agregará valor para o produto”, informou o Gerente comercial da empresa, Marco Túlio Teixeira.

O portal movimenta cerca de R$ 130 milhões mensalmente, tem uma média 40 mil clientes e será usado também para dar visibilidade ao material dos catadores. O CMRR em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad)Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam)Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) servirá como uma Central Local, para identificar e agrupar associações que poderão comercializar seu produto em conjunto e larga escala. José Alexandre Dell´Isola, coordenador da Tecnologia e Informação do Centro Mineiro, afirma que quem irá operar a Central são os próprios catadores que serão capacitados para o mesmo. A intenção é que as grandes empresas filiadas a “Superbuy” doem seus resíduos para as associações tratá-los e vende-los.

Uma preocupação mencionada é conseguir um padrão de qualidade do produto, uma vez que serão comercializados juntos por diversas associações, caso uma tenha disponível 20 toneladas de papel, outra 30, será oferecido 50 e o valor de venda dividido por porcentagem. A produção em larga escala agregará valor de mercado.

Segundo a coordenadora do CMRR, Denise Bruschi, a partir de agora será testado o modelo adequado e irá se definir indicadores de qualidade para cada produto, a intenção é que o lançamento oficial ocorra em março de 2010. Outra ferramenta que será importante será o Inventário de Resíduos Sólidos de Minas Gerais, um sistema de informação para consulta pública, criado pela Feam, CMRR e Semad, em parceria com a Universidade Federal de Lavras (Ufla) que permite a visualização geográfica e disponibiliza dados referentes às áreas de disposição final dos resíduos sólidos urbanos gerados em Minas Gerais.

O treinamento dos operadores da Central será realizado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Minas Gerais (Sebrae-MG) e o Governo de Minas garantirá que o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) estudará um financiamento acessível para as associações de catadores, como afirmou o governador Aécio Neves no lançamento do Festival Lixo e Cidadania.

A parceria firmada entre CMRR e “SuperBuy” garante a utilização do sistema sem nenhum custo para as associações e o frete do produto pode ser pago pela empresa que comprar o material, se assim for combinado. Para o coordenador da Área de Mobilização Social do CMRR, os catadores coletam e separam o material com facilidade, mas não tem recurso para estocar e conseguir uma gama maior de clientes e essas iniciativas será de grande valia.

A catadora Jane Gonçalves de Papagaios, na região Central do Estado, acredita que o sistema tem tudo para dar certo, desde que os coletores tenham consciência, “esse é um projeto âncora que dependerá da boa vontade dos associados de fazer uma boa triagem”, conclui.

Anúncios
h1

8º Festival do Lixo e Cidadania, organizado pelo Governo Aécio, aponta para novos caminhos da sustentabilidade

01/10/2009

Diversidade Cultural em Defesa do Planeta. Esse é o tema central do 8º Festival Lixo e Cidadania, que aconteceu em Belo Horizonte, de 21 e 26 de setembro. Pela primeira vez, o Governo Aécio Neves é um dos realizadores desse evento. A ação, promovida por diversas entidades que defendem os interesses dos catadores de material reciclável, começou pequena e hoje ganha porte de evento internacional. Já estão confirmadas delegações vindas da França, Canadá, África do Sul e Índia.

“É o encontro das diferenças, que provoca uma mudança de pensamento e postura”, defende o coordenador executivo do Festival, José Aparecido Gonçalves. Durante quatro dias de conferências, os catadores de materiais recicláveis se juntam a gestores públicos, ambientalistas, estudantes, jornalistas e demais interessados para discutir, sob os mais diversos ângulos, a questão do lixo. Este ano, uma das principais questões em debate foi o impacto da crise econômica internacional na vida dos catadores.

Durante as plenárias, que foram gratuitas, o Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), no bairro Esplanada, também abrigou uma feira de produtos reciclados, com artesãos vindos de diversas regiões do Estado; exposições artísticas e o Recicloespaço – casa protótipo, de 70 m2, 100% construída a partir do conceito da sustentabilidade, desenvolvida por uma equipe de pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)e técnicos voluntários.

A 8ª Edição do Festival Lixo e Cidadania foi uma realização também do Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável (Insea); Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável (Asmare); Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR); Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) e Fórum Estadual Lixo e Cidadania (FELCMG); com patrocínio do Fundo Nacional de Cultura / Ministério da Cultura e apoio doServiço Voluntário de Assistência Social (Servas), Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Itaipu Binacional, Ministério do Meio Ambiente, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

h1

8º Festival Lixo e Cidadania discute desenvolvimento urbano e justiça social, ação tem apoio do Governo Aécio Neves

30/09/2009

secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Agostinho Patrús Filho, e o ministro de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, participaram  quarta-feira (23) do painel “Desenvolvimento urbano e justiça social”, no 8º Festival Lixo e Cidadania. O tema foi abordado sob os aspectos governamentais e da sociedade civil.

Para debater a visão governamental, além do ministro e do secretário de Estado, participaram o vice-presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), Gastão Vilela França Filho, e a pesquisadora da Universidade de São Paulo Gina Rizpah Besen. Já a opinião da sociedade civil foi exposta pela representante da Women in Informal Employment Globalizing and Organizing (WIEGO) da África do Sul, Melanie Samson, pelo representante do Movimento Nacional da População de Rua, Samuel Rodrigues, e da Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável (Asmare), Dona Geralda.

Durante o debate sobre a visão governamental, o ministro Patrus Ananias disse que já existem avanços significativos para a categoria. ”Hoje, os catadores são reconhecidos como profissionais e existe um conjunto de ações para promover a autonomia e o desenvolvimento social de cada um deles e de suas famílias. Trabalhamos com a integração de políticas como o Bolsa Família, ações de geração de emprego e renda e de educação. Ainda há muita estrada, mas estamos caminhando”, ressaltou.

Desenvolver ações de forma integrada também é o objetivo do Governo Aécio Neves. O secretário Agostinho Patrús Filho destacou que o Governo do Estado tem a intenção de fazer um trabalho conjunto com os governos municipais e federal. “É preciso deixar as questões partidárias de lado e voltar os olhos para este público. Trata-se de um público vulnerável que precisa de uma efetiva inserção produtiva”.

Para realizar esta inserção produtiva, o governador Aécio Neves lançou, na última segunda-feira (21), junto com secretário Agostinho Patrús Filho, o Plano Estadual de Qualificação Social e Profissional para Catadores de Materiais Recicláveis durante a abertura do festival. “Iniciamos o primeiro curso voltado especificamente para os catadores, com o objetivo de qualificá-los. No primeiro momento, 16 municípios devem ser beneficiados, inclusive no interior. Para a segunda etapa, mais 100 cidades deverão ser contempladas”, enfatizou o secretário.

Qualificação

Os cursos de qualificação serão realizados por meio do Projeto Usina do Trabalho. As aulas apresentam um conteúdo programático, dividido em módulos de saúde e segurança no trabalho; meio ambiente e sustentabilidade; direitos humanos, sociais e trabalhistas; relações humanas e interpessoais; comunicação; noções de trânsito; orientações sobre a Lei Estadual de Resíduos Sólidos; associativismo e cooperativismo; economia solidária e o trabalho do catador; tecnologia social da reciclagem; logística da coleta seletiva e gestão e logística de um empreendimento produtivo.

A qualificação vai beneficiar, inicialmente, cerca de 320 catadores. Os interessados em participar de algum dos cursos devem procurar a associação ou cooperativa na qual é inscrito (nas cidades abaixo listadas) para posterior encaminhamento e realização da inscrição no Sine. A previsão é que o curso comece em outubro.

Visão da sociedade

Segundo Samuel Rodrigues, do Movimento Nacional da População de Rua, o tema do painel propõe duas questões que, a princípio, são antagônicas. “Quando fui convidado para participar deste debate, compreendi que o maior desafio que temos é juntar o desenvolvimento urbano com a justiça social. Tenho certeza que este encontro é possível, com o apoio de nossos governantes e com o nosso conhecimento da causa. E isto está acontecendo hoje neste debate”.

Cidades beneficiadas

– Arcos – ARA – Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Arcoense – Rua Prof. Francisco Fernandes, 50, Bairro Niterói.

– Araguari – ASCAMARA – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Araguari – Rua 17, 100. Bairro Independência. Uberaba

– COOPERU – Cooperativa dos Recicladores Autônomos de Resíduos Sólidos e Mat. Recicláveis de Uberaba – Av. Francisco Podboy, 2055. Bairro Distrito Industrial.

– Araxá – RECICLARA – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Araxá – Av. Amazonas, 2.325 – Bairro Amazonas.

– Betim – ASCAVAP – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis do Vale do Paraopeba – Av. Inhotim, 641. Baiirro Progresso 2.

– Contagem – ASMAC – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Contagem. R. Três, 85, B. Presidente Kennedy e R. Paranaguá, 264, B. Novo Riacho.

– Governador Valadares – ASCANAVI – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis Natureza Viva – BR 116, Km 415, s/n, Bairro Turmalina.

– Ipatinga – ASCARI – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Ipatinga – Rua Macabeus, 1042. Bairro Canaã

– Itaúna – COOPERT – Cooperativa de Reciclagem e Trabalho Ltda – Rua João Moreira de Carvalho, 1.460. Bairro Parque Jardim.

– ASCARUNA – Associação dos Catadores de Itaúna – Av. Dona Cota, 1046. Bairro Centro.

– Mariana – CAMAR – Centro de Aproveitamento de Materiais Recicláveis – Rua: Rubi, 127. Bairro Colina.

– Ouro Preto – ACMAR – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis da Rancharia – Rodovia Rodrigo Melo Franco de Andrade. Bairro: Nossa Senhora do Carmo.

– Pará de Minas – ASCAMP – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Pará de Minas – Rua Nova Serrana, 1385, Bairro Ozanã.

– Papagaios – ASCAMRRP – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Papagaios – Avenida Coronel Diogo, 1073. Bairro Nossa Senhora de Lourdes.

– Sete Lagoas – ACMR – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Sete Lagoas – R. Alcides Fonseca, s/n, Bairro Henrique Neri.

– Teófilo Otoni – ASCANOVI – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis Nova Vida – Rua Engenheiro Celso Murta, 249. Bairro Olga Prates Corrêa.

– Timóteo – ASCATI – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Timóteo – Rua 61, 601. Bairro Alegre.

h1

Andrea Neves inaugura Telecentro Comunitário, Programa Oportunidade Legal

26/08/2009

O Telecentro Comunitário, Programa Oportunidade Legal (Olé) foi inaugurado nesta segunda-feira (10), no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR). Voltado prioritariamente para adolescentes em situação de risco ou em conflito com a lei, o programa promove a formação cidadã, a inclusão digital e a possibilidade de inserção no mercado formal de trabalho de jovens encaminhados pela Vara de Atos Infracionais de Belo Horizonte.

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, descerrou a placa de inauguração. “Uma contribuição como essa tem uma importância extraordinária. A inclusão digital é a inclusão social e o CMRR é um ponto estratégico para a implantação do telecentro”, disse o ministro. O secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Carlos Carvalho, ressaltou que, além de terem acesso à Internet, os jovens também terão noções de meio ambiente e gestão de resíduos, já que será promovido o intercâmbio de informações entre os cursos oferecidos no CMRR. “Inclusão digital é a alfabetização deste século”, ressaltou.

O Telecentro é um espaço público provido de dez computadores conectados à internet banda larga, 21 cadeiras multiuso, mesas, armário, projetor multimídia, roteador wireless, impressora, estabilizadores, central de monitoramento com câmera de vídeo de segurança. No espaço serão realizadas atividades com o objetivo de promover a inclusão digital e social das comunidades atendidas. Os adolescentes terão aulas presenciais e a distância.

A primeira turma do Programa Olé, com 20 adolescentes, deverá iniciar as aulas até setembro. A previsão é de que sejam três meses de aula para cada turma. Ao final do curso, os alunos podem ser contratados por uma das instituições parceiras do programa. Por ano, cerca de 80 adolescentes serão atendidos.

Várias atividades serão desenvolvidas no local tais como: o uso livre dos equipamentos, acesso à internet, cursos de informática básica, curso de navegação na internet, realização de oficinas de capacitação e oficinas diversas que possam utilizar as Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) disponíveis no telecentro, realização de atividades socioculturais para mobilização social e divulgação do conhecimento, oficinas de alfabetização digital.

De acordo com o presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), José Cláudio Junqueira, a parceria é uma oportunidade de intercâmbio de informações e formação de jovens em conteúdos que, aliados, são fundamentais para promoção do desenvolvimento sustentável. “Os jovens serão capacitados em conteúdos de inclusão digital e posteriormente serão encaminhados para o curso de Curso de Qualificação em Montagem, Manutenção e Recondicionamento de Computadores promovido pela Feam, CMRR e Servas e com o patrocínio da Microsoft Brasil. Desta forma o CMRR cumpre seu papel de abrigar projetos das diversas esferas de governo que buscam ampliar o acesso a informação sobre a gestão dos diversos tipos de resíduos”, declarou.

Para a juíza titular da Vara de Atos Infracionais de Belo Horizonte, Valéria da Silva Rodrigues, o convênio promove cidadania e reinserção de menores em conflito com a lei, estando de acordo com uma política preventiva de criminalidade. Antes de serem encaminhados para o telecentro, os jovens serão avaliados por uma equipe técnica de psicólogos e assistentes sociais da Vara de Atos Infracionais.

Parceria

O Projeto é uma parceria do Ministério das Comunicações, responsável pelo Telecentro Comunitário; da Empresa de Informática e Informações do Município de Belo Horizonte (Prodabel), que recebeu o aparato tecnológico para a realização dos cursos; da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) e do CMRR, responsáveis pela parte de educação ambiental; do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac/MG), que oferecerá o treinamento profissional; da Associação Profissionalizante do Menor (Assprom) e da Associação Municipal de Assistência Social (Amas), que contratarão parte dos adolescentes participantes.

A presidente do Servas, Andrea Neves, ressaltou a parceria promovida para a implantação do telecentro como uma marca do Governo de Minas. “Estamos celebrando a ampliação das atividades do CMRR com a parceria com o Ministério das Comunicações e o Tribunal de Justiça, somando esforços em busca de resultados mais efetivos”, disse.

Também estiveram presentes na solenidade o vice-prefeito de Belo Horizonte, Roberto Carvalho, a diretora-executiva do CMRR, Denise Bruschi, o presidente da Associação Municipal de Assestência Social (Amas), Rosalva Alves Portella, e o presidente da Associação Profissionalizante do Menor (Assprom), Jafete Abrahão.

h1

Chefs do Amanhã, projeto coordenado por Andrea Neves, que ensina culinária a jovens carentes, participa da edição 2009 do Festival de Gastronomia de Tiradentes

24/08/2009

De segunda (24) a quinta-feira (27), o Chefs do Amanhã, projeto do Governo Aécio Neves que ensina culinária a jovens carentes, participa da edição 2009 do Festival de Gastronomia de Tiradentes. Os instrutores do programa darão aulas de gastronomia e aproveitamento integral de alimentos para 53 estudantes da rede pública do município.

O curso será realizado na cozinha montada especialmente para o evento, num espaço cenográfico no Largo da Rodoviária, no mesmo ambiente onde os grandes chefs convidados para o festival estarão cozinhando nos finais de semana. Serão duas turmas de 40 jovens, divididas em aulas no período da manhã e tarde, num total de 16 horas/aula.

Durante a qualificação, os jovens vão aprender técnicas de manipulação, congelamento e aproveitamento integral dos alimentos, noções de higiene, dicas de compras e economia, entre outras. Entre os pratos que serão ensinados estão: salpicão de casca de melancia, bolo de casca de banana, refrigerante de laranja feito a base de cenoura, sorvete e esfiha de inhame e brigadeiro de mandioca. Para o curso, os alunos receberão avental e apostila com as receitas que serão preparadas.

Em 2008, o projeto capacitou cerca de 280 jovens em situação de vulnerabilidade social de Belo Horizonte e Contagem. A previsão para este ano é que mil jovens sejam qualificados. O objetivo do Chefs do Amanhã é incentivar o interesse e a participação dos jovens em uma nova proposta de culinária básica e saudável para aproveitar ao máximo os nutrientes dos alimentos e evitar o desperdício de resíduos sólidos. A proposta é que, após participarem do curso, os jovens se transformem em multiplicadores da experiência na família, na escola e na comunidade.

O projeto é desenvolvido pela Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude (Seej), por meio da Coordenadoria Especial da Juventude, e conta com o apoio do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), do Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), da Ceasa Minas e do Mercado Central de Belo Horizonte.

Programação:

24 de agosto, segunda-feira – Aulas teóricas

Turma manhã- 8h às 12h

Turma tarde- 14h às 18h

25 de agosto, terça-feira – Aulas práticas (receitas baseadas em carne de boi)

Turma manhã- 8h às 12h

Turma tarde- 14h às 18h

26 de agosto, quarta-feira- Aulas práticas (receitas baseadas em carne de porco)

Turma manhã- 8h às 12h

Turma tarde- 14h às 18h

27 de agosto, quinta-feira- Aulas práticas (receitas baseadas em carne de frango)

Turma manhã- 8 às 12h

Turma tarde- 14 às 18h

h1

Centro Mineiro de Referência em Resíduos realizou seminário internacional de resíduos eletrônicos

17/08/2009

Nos últimos três dias, o Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), em Belo Horizonte, foi palco para discussões em torno da disposição dos resíduos eletroeletrônicos em seminário internacional. Participaram das trocas de experiências representantes da União Européia, da comunidade acadêmica e de órgãos públicos de todas as esferas de governo. Além da interface entre os participantes foram dados alguns passos para avançar na gestão desses resíduos. Durante o evento foram discutidos temas como a legislação, elaboração de Políticas Públicas para o setor, a logística reversa, a reciclagem e o consumo consciente.

presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), José Cláudio Junqueira, destaca que o evento superou as expectativas, principalmente no que tange a participação e envolvimento do público. “Este é um espaço para discutirmos que modelo de gestão de resíduos eletroeletrônicos pode e deve ser adotada. Estamos trocando experiências e construindo conhecimento para subsidiar propostas de Políticas Públicas para este setor”, ressalta Junqueira.

O representante da empresa Encros, da Alemanha, se surpreendeu com o número de participantes e elogiou o engajamento de todos na busca de soluções para a geração e disposição dos resíduos eletroeletrônicos. “A participação efetiva das pessoas e o envolvimento com o tema demonstram a conscientização e aponta para boas perspectivas”, ressalta Sebastian Kernbaum.

Em Minas já existe uma política para gestão de resíduos sólidos, porém sem especificar a questão dos eletroeletrônicos. Um grupo de trabalho (GT) está em fase de elaboração de uma proposta para discutir a questão dos resíduos eletroeletrônicos nacionalmente, a proposta será encaminhada ao Conselho Nacional de Política Ambiental (Conama).“As experiências repassadas são fonte de inspiração para criação das nossas próprias ações que devem ter aplicabilidade no nosso contexto de atuação, a criação desse modelo não tem regra específica”, explica José Cláudio. Segundo o presidente, um consenso no seminário tende a um modelo de gestão compartilhada, onde fabricantes e importadores teriam responsabilidades quanto ao material comercializado.

No que se refere ao consumo consciente, houve opiniões como a do filósofo e palestrante José de Anchieta Correa: “a origem do problema está no desejo e na dificuldade de se estabelecer o que é necessidade, demanda ou desejo”. Idéia também demonstrada pelo gestor ambiental e também palestrante, Genebaldo Freire, que ressalta a necessidade de substituir a competição desenfreada pela cooperação.

Desdobramentos

Na manhã desta sexta-feira (14), após a iniciativa do presidente da Feam, os representantes da empresa alemã Encros, da espanhola Recilec e da brasileira Umicore firmaram mais um canal para parceria com essas instituições, que de pronto se dispuseram a trabalhar para troca de experiências e informações.

A diretora do CMRR, Denise Brusch, acredita que este é um tema que faz parte das preocupações de todos, ainda que não conscientemente. “Um exemplo é a expressiva participação do público no seminário”, afirma. A diretora destaca ainda que “o grande desafio é definir e estabelecer políticas públicas para gestão e tratamento desses resíduos”. Para o CMRR, além do conhecimento adquirido com as experiências apresentadas ficou clara a possibilidade de parcerias para o avanço dos trabalhos para inovação da gestão de resíduos.

h1

Governo Aécio vai implementar projeto piloto de gestão de resíduos eletroeletrônicos em Belo Horizonte

13/08/2009

Durante a abertura do Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) quarta- feira (12) foi assinado protocolo de intenção para implantação do projeto piloto de gestão de resíduos eletroeletrônicos em Belo Horizonte. O compromisso foi firmado pela Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) e pela Associação de Usuários de Informática e Telecomunicações de Minas Gerais (Sucesu).

Previsto para acontecer ao longo de 2010, o projeto estabelecerá uma parceria, inicialmente, com 25 empresas que irão repassar equipamentos como computadores, telefones, celulares e impressoras em desuso para a Feam, que dentro do projeto 3RsPCs – Resíduos Eletroeletrônicos, dará um destino ambientalmente responsável ao material.

De acordo com a coordenadora do projeto 3RsPCs, Susane Meyer, os equipamentos recebidos serão separados de acordo com o estado de aproveitamento. “Uma parte será utilizada no curso de recondicionamento de computadores que já é oferecido periodicamente no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) para jovens provenientes de escolas públicas”, explicou. Os equipamentos recondicionados serão doados com o objetivo de ampliar a inclusão digital de pessoas de baixa renda.

Os materiais não recondicionados serão enviados para o curso prático de processamento de resíduos eletroeletrônicos (REE), que será oferecido aos catadores de materiais recicláveis também no CMRR. Os materiais serão, então, destinados de maneira ambientalmente adequada para indústrias recicladoras de plástico, metal, placas de circuito impressos e empresas que tratam de tubos de raios catódicos dos monitores de computadores. “Tudo será quantificado e acompanhado para que se conheçam as melhores possibilidades de destinação desses resíduos e para que se tenha um controle de todo o processo”, acrescentou Susane.

De acordo com o presidente da Sucesu, Márcio de Souza Tibo, a assinatura do protocolo simboliza a união entre o Governo de Minas e a sociedade civil na busca por soluções adequadas ambientalmente e economicamente viáveis para a questão dos resíduos eletroeletrônicos. “O esforço conjunto entre o 3RsPCs e a Suceso trará vários benefícios às empresas e usuários de informática e à população” declarou.

Cooperação com a Microsoft Brasil
Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e a Microsoft também assinaram um termo de cooperação técnica com o objetivo de apoiar o projeto 3RsPCs, desenvolvido pela Feam. O projeto busca soluções ambientalmente adequadas para os resíduos eletroeletrônicos, fomentando a formulação de políticas públicas relacionadas ao tema.

Entre as ações apoiadas pela Microsoft está o curso de Montagem, Manutenção e Recondicionamento de Computadores, voltado para jovens vindos de escolas públicas. O trabalho é voltado para jovens vindos de escolas públicas que aprendem a trabalhar com hardware enquanto efetivamente recondicionam máquinas obsoletas de prédios do Governo do Estado. Os alunos também aprendem sobre noções de meio ambiente e sobre os riscos dos resíduos eletroeletrônicos se mal geridos.

O projeto tem como objetivo promover a disseminação de políticas voltadas para a destinação social e ambientalmente correta desses resíduos, fomentando a formulação de uma legislação específica para o setor no Estado, além de estimular o desenvolvimento de pesquisas voltadas para o reaproveitamento e reciclagem de resíduos eletroeletrônicos (REE).

Segundo informações do diretor de Assuntos Coorporativos da Microsoft Brasil, Rodolfo Fucher, há no Brasil cerca de 40 milhões de computadores pessoais (PCs) da empresa instalados. “A cada ano novos 10 milhões chegam ao mercado e cerca de 2 milhões são descartados. Por isso a Microsoft apóia a iniciativa da Feam, Servas e CMRR, por meio do Projeto 3RsPCs, para que essa grande quantidade de resíduos gerada tenha uma gestão adequada”, disse.

“Há toda uma cadeia que envolve fabricantes, importadores, revendedores e os consumidores. Queremos que toda a cadeia seja envolvida na solução da questão. As políticas públicas que estão sendo elaboradas pelo Governo de Minas em parceria com a sociedade civil visam levar ao Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) uma proposta de norma que abranja todos os envolvidos”, informou o presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente, José Cláudio Junqueira.

Seminário apresenta soluções para resíduos eletroeletrônicos
Nesta quinta-feira (13/08), no segundo dia do Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos, as propostas de políticas públicas e os sistemas de gestão e logística reversa serão abordadas pelos especialistas reunidos em Belo Horizonte.

A partir de 9h, no painel ‘Políticas Públicas’, o presidente da Feam, José Cláudio Junqueira, apresenta as iniciativas pioneiras do governo de Minas Gerais que integram as ações do Projeto 3RsPCs – Resíduos Eletrônicos que vem sendo realizadas pela Feam no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR).

Também participam o gerente de Programas Ambientais Urbanos da Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Marcos Bandini; o consultor internacional de resíduos eletroeletrônicos e gerente de negócios do Instituto de Morfologia aplicada em Zurique, Peter Bornand; a consultora de gestão de resíduos urbanos, resíduos tecnológicos, resíduos especiais e políticas públicas, Ângela Rodrigues; o diretor da Área de Responsabilidade Socioambiental da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), André Saraiva.

A partir de 14 horas, no painel ‘Logística Reversa e Sistemas de Gestão’ serão apresentadas as ações destinadas a facilitar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos aos seus geradores, para que sejam tratados ou reaproveitados. O português Ricardo Neto, presidente da European Recycling Platform, apresentará o trabalho desenvolvido em Portugal e na Espanha na gestão de resíduos como pilhas e eletroeletrônicos. Daniel Ott, da Swiss Federal Laboratories for Materials Testing and Research (EMPA), apresentará as ações que vem sendo desenvolvidas na América Latina e Caribe, onde é o coordenador de atividades de REE. O diretor executivo do Conselho de Logística Reversa do Brasil (CLRB), Paulo Roberto Leite, a pesquisadora da Universidade do Estado de São Paulo (USP), Nívea Reidler e Benami Waisberg, da Recitec.

O Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos tem patrocínio da Microsoft Brasil e acontece entre os dias 12 e 14 de agosto no CMRR (rua Belém, 40, bairro Esplanada). A programação completa está disponível nos sites www.feam.brwww.seminarioree.com.br.